sábado, 18 de maio de 2013

POEMA AMOROSO


abri minha boca

enorme

de fome,


engoli seu universo

desconexo,

a delicadeza de seu sexo

na acidez

da minha língua,


à míngua não morro

tenho o vazio

do poema amoroso,


e o sabor de anarquia

que escorre (poesia)

de seu gozo.

6 comentários:

  1. Olá Carlos, como vai?
    Gosto muito de poesias, poemas, ideia e pensamentos. Também escrevia, mas não estou inspirada no momento para colocar no papel as mensagens dos sentidos, muito menos com as da alma.
    Abraços para você. Continue escrevendo...

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde Carlos!
    Seu poema é lindo e muito intenso. Foi um grande Prazer fazer a leitura!

    ResponderExcluir
  3. oi
    gostei do seu novo visual
    e do poema tbm
    bjsdiet

    ResponderExcluir
  4. Gostei demais da nova imagem e de mais um poema tão intenso. Impossível deixar de ler você! Bjs

    ResponderExcluir
  5. Este beijar amoroso foi tão intenso que na troca de fluídos a alma ficou abastecida de poesia. Puro gozo de sentires misturados.Bj

    ResponderExcluir